Idosos quando não conseguem mais cuidar de si mesmos e necessitam da ajuda de outras pessoas, tem direito ao acréscimo de 25% no valor da sua aposentadoria.

Isso está descrito no artigo 45 da Lei 8.213/91 que diz o seguinte:

O valor da aposentadoria por invalidez do segurado que necessitar da assistência permanente de outra pessoa será acrescido de 25% (vinte e cinco por cento)”.

Este acréscimo é dado em face das dificuldades que o aposentado por invalidez sofre por não mais conseguir cuidar de si mesmo, ou seja, o aposentado será avaliado por um médico perito e a majoração será concedida a partir da data de solicitação.

Esta majoração é aplicada nos seguintes casos:

  1. Cegueira total;
  2. Perda de nove dedos das mãos ou superior a esta;
  3. Paralisia dos dois membros superiores ou inferiores;
  4. Perda dos membros inferiores, acima dos pés, quando a prótese for impossível;
  5. Perda de uma das mãos e de dois pés, ainda que a prótese seja possível;
  6. Perda de um membro superior e outro inferior, quando a prótese for impossível
  7. Alteração das faculdades mentais com grave perturbação da vida orgânica e social;
  8. Doença que exija permanência contínua no leito;
  9. Incapacidade permanente para as atividades da vida diária.

Estas situações acima estão descritas no anexo I do Decreto 3.048/99.

O acréscimo é muito importante podendo ajudar no pagamento de despesas com o cuidador.

Anúncios