A crise econômica atual está causando problemas não só para pessoas físicas quanto jurídicas. O mercado deixou de atuar em seu ritmo habitual. Isto se deve muito a duas questões: 1) a inadimplência dos que compram/contratam; 2)Aqueles que não compram/contratam justamente para não cair na inadimplência.

Em ambos os casos a inadimplência se tornou o grande percalço ao desenvolvimento econômico do país, retraindo, por sua vez, a economia, retirando das empresas capital necessário para distribuir entre funcionários/acionistas e fazer “a roda girar”.

Isto gera o corte de custos/gastos por parte das empresas, influindo mais uma vez no processo de desaceleração da economia.

Para pessoas físicas a dica é: renegocie suas dívidas. Estipule prazos alcançáveis e sustentáveis, de maneira que possa cumpri-los devidamente, sem comprometer seu sustento e de sua família.

Para pessoas jurídicas: Renegocie seus créditos e seus débitos. Trabalhe com o fluxo de caixa suficiente para respirar entre o pagamento dos débitos e a negociação dos créditos junto aos devedores.

É tempo de rever conceitos e revisar o que foi antes ajustado.

 

Anúncios