Outro dia estava participando de uma conversa informal com advogadas catarinenses, e lá pelas tantas veio uma pergunta relacionada a minha atividade profissional, era sobre como tratar a questão da postura do colaborador, seja ele advogado, nas suas

mais variadas vinculações, ou da área administrativa. Como abordar temas como a forma de se vestir e maquiar, nos caso das mulheres, sem invadir a intimidade das pessoas.

Bem, se formos analisar, superficialmente é simples, mas quando aprofundamos um pouco o tema, tudo fica mais complexo. Nessa hora refleti por uns minutos e ensaiei como deveria ser a abordagem para resolver aquela questão, que era pontual.

No entanto o assunto ficou ecoando dentro de mim, e nesse caso é necessário registrar a importância do Manual de Conduta dentro dos ambientes jurídicos para alinhar a expectativa e a necessidade com a prática.

O Manual de Conduta quando bem elaborado elimina consideravelmente constrangimentos entre líderes e liderados, estará nele todas as regras de como se vestir, como se portar, o que é permitido e proibido, assim como o momento que será imprescindível certa postura do profissional, isso se aplica as mais diversas áreas dos escritórios de advocacia.

Diante disso invista, você juntamente com a sua equipe, tempo para a elaboração de um minucioso Manual de Conduta, o mesmo deverá ser detalhado por função e departamento, quando necessitar dessa especificação. Será um investimento que trará muitos benefícios para a harmonia do clima organizacional. Afinal, o combinado não é caro nem barato, é combinado, certo?

Sinéia Rosa

Consultora de Gestão Estratégica de Pessoas da Selem, Bertozzi

Contato: sineia@estrategianaadvocacia.com.br